A Hora da Notícia

Abrasel cobra revisão de trecho de decreto que penaliza ainda mais os restaurantes

Em post publicado nesta segunda-feira, associação pede liberação para permanência de clientes no estabelecimento, ao menos durante o horário de almoço
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Abrasel cobra revisão de trecho de decreto que penaliza ainda mais os restaurantes foto: Reprodução

A associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Alagoas (Abrasel/AL) publicou, nesta segunda-feira (22), em suas redes sociais, um pedido ao Governo do Estado para que haja a permissão de que os clientes possam comer dentro dos estabelecimentos, especialmente nos horários de almoço.

O posicionamento vem ainda na primeira semana de validade do novo decreto que pôs todo o estado em fase vermelha do isolamento social, deixando os estabelecimentos de alimentação podendo operar apenas nas modalidades ‘pegue e leve’ e delivery.

“E quem não parou, se alimenta onde?”, lê-se na publicação. Segundo o texto, “não há local apropriado para que as refeições sejam feitas”, citando a realidade de trabalhadores que acabam em situações insalubres para se alimentar, “sem ter qualquer condição de higiene e controle sanitário e agora dentro de Maceió com pessoas comendo no meio fio das calçadas”, explica a legenda da postagem, que conclui: “pedimos ao Governo que repense a decisão e considere permitir que os clientes possam comer em um local seguro”.

Nos comentários, muitos seguidores do perfil apoiaram o posicionamento. “Não queremos ser um setor privilegiado, apenas pedimos que a conta de toda uma cadeia não seja debitada em nós”, salienta um perfil de lanches de praia.

“Pergunto, onde existe a maior probabilidade de contrair Covid-19? Dentro dos restaurantes que seguem TODOS os protocolos exigidos pelos órgãos competentes ou sentados no meio-fio da rua ou escadas de serviço dos shoppings?”, questiona outro seguidor.

No entanto, entre vários emojis de aplausos, opiniões adversas também foram registradas. “Pelo direito de encher as UTI’s e matar mais pessoas de Covid, só se for”, lê-se entre algumas das críticas.

As restrições impostas pelo Decreto Estadual Nº 73.650, de 15 de março de 2021, passaram a valer na sexta-feira (19) e tem validade de 14 dias. As medidas foram tomadas devido à gravidade da lotação de leitos e de casos confirmados de Covid-19 em Alagoas.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente