A Hora da Notícia

Alagoas tem mais de 300 mortes por Covid só nos primeiros dois meses de 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
prefeitura junho

Thiago Duarte / Sesau

O aumento dos casos de Covid-19 agravados pela variante Ômicron após as festas de fim de ano em Alagoas reflete na disparada de mortes entre os meses de dezembro do ano passado e fevereiro de 2022. Segundo dados dos boletins epidemiológicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), houve um salto grave nos óbitos nesse período em relação ao número de mortes registradas em dezembro do ano passado, no território alagoano. 

Com o avanço da vacinação e ainda sem os festejos de Natal, Réveillon, shows e férias de verão, Alagoas passou 13 dias sem registrar óbitos em dezembro e finalizou aquele mês com 31 mortes, sendo 19 em Maceió e 12 no interior.

Já em janeiro, o surto dos casos refletiu também em maior mortalidade, principalmente das pessoas que não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal. O primeiro mês de 2022 ainda conseguiu segurar 10 dias sem mortes, mas teve 58 óbitos por Covid-19 (33 em Maceió e 25 no interior). 

O cenário piorou em Fevereiro, que terminou no último dia 28, na segunda-feira de Carnaval. Os números da Sesau mostram que morreram pessoas em Alagoas durante todos os dias, resultando em 243 óbitos, sendo 123 na capital e 120 no interior. 

Só nos primeiros quatro dias deste mês de março, 42 vidas foram perdidas por causa do novo coronavírus em Alagoas, sendo 29 em Maceió e 13 no interior. O número já é maior que a soma de todo o mês de dezembro. Há a preocupação agora com as consequências das aglomerações no período do Carnaval, que foi encerrado nesta semana. 

De acordo com o boletim da última sexta-feira, 4, a Sesau contabiliza 292.568 casos confirmados e 6.726 mortes por Covid-19 em Alagoas desde o início da pandemia, que começou a afetar a população alagoana em março de 2020. 

O TNH1 pediu à Sesau um posicionamento sobre esse aumento dos óbitos e questionou se há informações sobre dados de vítimas vacinadas ou que não completaram a imunização ou que nem sequer tomaram a primeira dose, mas não obteve retorno. 

fonte: tnh1

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente