A Hora da Notícia

Após cobrança do setor produtivo, governo amplia horário de funcionamento de bares e restaurantes em Alagoas

Estabelecimentos poderão funcionar até 20h e continuam fechados aos fins de semana; toque de recolher está mantido entre 21h e 5h
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

FOTO: Arquivo/Gazetaweb

Após os apelos do setor produtivo, o governo do Estado anunciou, nessa terça-feira (13), que os bares e restaurantes de Alagoas estão autorizados a funcionar até as 20h. Alagoas retornou à Fase Vermelha do Plano Estadual de Distanciamento Social no dia 19 do mês passado.

Ainda nesta terça-feira, os donos de bares e restaurantes de Alagoas apelaram pela sensibilidade do Governo para recuo nas medidas restritas e avanço na flexibilização dos horários de funcionamento destes estabelecimentos, que contemple o turno da noite. O pedido era para que a permissão se estenda até o início do toque de recolher.

O setor apresenta como um dos argumentos o fato de que os consumidores que frequentam os shoppings precisam comer no horário noturno. Os centros de compras têm autorização para abertura até as 20h. Thiago Falcão diz que as praças de alimentação precisam estar funcionando enquanto os shoppings estiverem abertos ao público.

“A gente entende que o horário limitado ao toque de recolher, a partir de 21h, é razoável para ter uma fiscalização eficiente em relação ao processo de reabertura, como também colaborar com a parte produtiva de bares e restaurantes, que vem sendo bastante prejudicada neste período”, frisa.

Segundo ele, no Agreste e no Sertão de Alagoas, o quadro é delicado para quem trabalha neste ramo. “Nestas regiões, já estamos há mais de 30 dias com restrições mais severas. Todas as possibilidades que os empresários tinham de conceder férias aos funcionários, utilizar banco de horas, já foram esgotadas”.

Falcão diz que os donos de bares e restaurantes destas localidades arcam com todos os custos das empresas, pagando, inclusive, aos colaboradores para estarem em casa, sem perspectivas de retorno.

“É muito importante que o Estado permita este avanço em relação ao horário, para que a gente possa retornar, pelo menos de forma mínima, ao trabalho noturno. Temos diversos empreendimentos que vendem tapiocas, sanduíches e pizzarias, que já demitiram metade dos funcionários, e a gente precisa continuar avançando, para diminuir o impacto que estes decretos estão causando ao setor”, destaca.

O QUE É A FASE VERMELHA?

Após um ano, Alagoas retornou à Fase Vermelha na sexta-feira (19). Com isso, o setor comercial tem funcionado em novos horários e a população tem vivido com restrição de circulação entre as 21h e às 05h da manhã.

O transporte intermunicipal de passageiros em todo o Estado deve ocorrer com 30% de sua capacidade e o acesso a praias, rios e lagoas durante os finais de semana está proibido. O funcionamento de academias de ginástica fica limitado a 30% do público, mas, a prática esportiva será vedada para pessoas com mais de 60 anos de idade ou com comorbidade. Contudo, os idosos já vacinados com duas doses há mais de 15 dias poderão voltar às academias. As igrejas poderão funcionar, mas, com apenas 30% do total. Salões de beleza deverão atender exclusivamente a partir de agendamento e com capacidade também reduzida.

No caso do comércio, os estabelecimentos seguem com permissão para funcionar, mas, com alteração nos horários. Para as lojas localizadas no Centro, o funcionamento será das 9h às 17h, com fechamento obrigatório aos sábados, domingos e segundas-feiras. Lojas de rua e galerias funcionarão das 10h às 18h, com funcionamento vedado também aos sábados, domingos e segundas. Já no caso dos shoppings, o horário será das 11h às 20h, com fechamentos aos sábados, domingos e terças-feiras.

Restrição – A restrição de horário para a circulação de pessoas é a maior novidade dos novos decretos. “O cidadão não poderá circular após 21h se não estiver em destino de alguma necessidade para a sua família”, esclareceu o governador Renan Filho. O impedimento não atinge quem estiver em direção a algum serviço essencial; os trabalhadores de maneira geral, incluindo os entregadores de delivery; e quem trafega no modo pegue e leve dos restaurantes.

No caso das academias, o usuário precisará comprovar, por meio de declaração, que não possui comorbidades. E no caso dos salões de beleza, não poderá haver fila de espera.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente