A Hora da Notícia

Após determinação do TRT/AL, rodoviários vão circular com 100% da frota nesta terça-feira

Após determinação do TRT/AL, rodoviários vão circular com 100% da frota nesta terça-feira
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Após determinação do TRT/AL, rodoviários vão circular com 100% da frota nesta terça-feira foto: Ascom/SMTT

Após a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/AL) para que 100% da frota de ônibus de Maceió circulasse nesta terça-feira (6), os rodoviários decidiram cumprir a decisão da Justiça, portanto, os coletivos vão rodar normalmente. Nessa segunda-feira (5), o TRT considerou abusiva a paralisação anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de Alagoas (SINTTRO-AL). A decisão pela greve foi tomada pela categoria no último sábado (3).https://4ac70554a4a35a5f90ce91bc7b7865b3.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Nesta segunda-feira, a categoria participou, junto com os empresários do setor, de uma audiência virtual com o Ministério Público do Trabalho (MPT), para comunicar sobre a mobilização. Como não houve nenhuma nova proposta para os trabalhadores, o posicionamento foi mantido.

A categoria pede a continuidade do pagamento de tíquete alimentação e plano de saúde aos membros da categoria profissional, conforme era previsto na convenção coletiva de trabalho encerrada no final do ano passado.

“A categoria decidiu cumprir a decisão do TRT, apesar de não achar que seria uma greve e, sim, um protesto até o meio-dia. Mas, entendemos e cumprimos a decisão e os ônibus vão circular normalmente nesta terça-feira. Mas, a greve está mantida para a próxima sexta-feira, onde 30% da frota vai circular na cidade. As empresas foram notificadas ontem, dentro do prazo mínimo de 72h, determinado pela Justiça e vamos seguir com o cronograma, já que a categoria clama por seus direitos e os empresários estão fazendo pouco caso”.

Por outro lado, as empresas alegam que a redução de receitas do setor, em decorrência das restrições de circulação impostas como estratégia de enfrentamento da pandemia da Covid-19 vem impossibilitando a continuidade do pagamento dos benefícios. “As negociações entabuladas concernem a parcelas que se encontravam previstas em convenção coletiva de trabalho, até aqui não renovada, e que por isso não constituem obrigação legal das empresas, dada a expressa proibição de ultratividade de normas coletivas expiradas, conforme o art. 614 da CLT”, afirma a decisão liminar.

O desembargador deferiu também o pedido feito pelo Sindicato das empresas, para que houvesse a inclusão do Município de Maceió para compor a lide, no pólo passivo, ante a necessidade de sua autorização para qualquer alteração de tarifas de passagens de ônibus urbanos.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente