A Hora da Notícia

Arthur Lira tenta uma saída para a crise, mas avisa que apertar “botão amarelo”

Cópia de sua marca aqui (2)
BANNER-ANUNCIO-AHORADANOTICIA-JAND (2)

Arthur Lira tenta uma saída para a crise, mas avisa que apertar “botão amarelo”

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) tem mais que uma batata quente nas mãos. Na ápice da crise entre o presidente Jair Bolsonaro e o Judiciário, decidiu ganhar tempo. Poderia ter encerrado a discussão respeitando a decisão já tomada na comissão especial, que rejeitou a PEC do voto impresso. Mas nessa sexta-feira (06/08) avisou que levará a proposta para decisão no plenário.

Não é uma decisão qualquer. Lira sabe que a PEC não passa (ao menos do jeito que está), mas ao sinalizar a votação em plenário ganha tempo para costurar saídas. O presidente da Câmara dos Deputados não quer nem atuar como bombeiro, nem como incendiário. Segundo versão da CNN, Arthur vai trabalhar num “meio termo”, evitando “derrotar” Executivo ou Judiciário. O que for decidido em plenário deverá ser aceito pelos dois poderes. Ou seja, o Congresso Nacional dará a palavra final.

Durante pronunciamento, Arthur avisou que “o botão amarelo continua apertado”, repetindo expressão utilizada para alertar que poderá autorizar a tramitação de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

“Repito, não contem comigo com qualquer movimento que rompa ou macule a independência e a harmonia entre os Poderes, ainda mais como chefe de Poder que mais representa a vontade do povo brasileiro” disse Lira.

“Esse é o meu papel e não fugirei jamais desse compromisso histórico e eterno. O botão amarelo continua apertado. Segue com a pressão do meu dedo, 24 horas atento. Todo tempo é tempo. Mas tenho certeza de que continuarei pelo caminho da institucionalidade, da harmonia entre os Poderes e da defesa da democracia. O plenário será o juiz dessa disputa, que já foi longe demais”, completou.
Fonte – Blog do Edivaldo Júnior

politica #politicaalagoana

fonte: PoliticaAlagoana

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente