A Hora da Notícia

Aumento de casos de dengue leva 4 municípios alagoanos a risco de epidemia e 5 a situação de alerta

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
prefeitura junho

FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O aumento de quase 500% dos casos prováveis de dengue em Alagoas nos quatro primeiros meses de 2022, em comparação com o mesmo período do ano passado, levou quatro municípios alagoanos a situação de risco de epidemia da doença e mais cinco em estado de alerta. Essas cidades estão localizadas em todas as regiões do estado. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau-AL), divulgados nesta sexta-feira (6) pela TV Gazeta

Nos quatro primeiros meses deste ano, Alagoas registrou, de acordo com a Sesau, 2.252 casos da dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. No mesmo período de 2021, o número de casos era quase sete vezes menos, 438. Já Ministério da Saúde aponta para 2.870 casos entre janeiro e abril deste ano e 421 para o mesmo período de 2021. PUBLICIDADE

Relacionadas:

600% NA UPA TRAPICHE E 753% NA UPA BENEDITO BENTES

Casos de dengue e síndrome gripal nas UPAs Trapiche e Benedito Bentes crescem mais de 600%

90% DOS REGISTROS

Casos confirmados de dengue aumentam quase sete vezes em Alagoas

De acordo com a Sesau, dos 102 municípios alagoanos, quatro deles estão com suspeitas de que houve mortes causadas pela doença: Arapiraca, Ibateguara, Maceió e Colônia Leopoldina.

Mais quatro estão com risco de uma epidemia, caso os números não sejam controlados: Matriz do Camaragibe – que aparece em primeiro lugar com 254 casos -, Branquinha (101), Barra de São Miguel (71) e Porto de Pedras (28).

Outros cinco estão sob alerta: Atalaia, Marechal Deodoro, União dos Palmares, Olivença e Quebrangulo.

Em Maceió, casos relacionados à dengue aumentam nas UPAs

De acordo com o coordenador das ações de controle do Aedes aegypti de Maceió, Erivaldo Raimundo, o mosquito, na capital, está “morando”, literalmente, “dentro da casa do maceioense”. Isso porque, conforme as informações repassadas por ele, 90% dos focos estão dentro das residências ou ao redor delas.

Em Maceió, por exemplo, as Unidades de Pronto Atendimento do Trapiche da Barra e do Benedito Bentes, localizadas em Maceió, tiveram, nas últimas semanas, alta na demanda de atendimento após o aumento de pessoas diagnosticadas com sintomas gripais e dengue.

A UPA do Benedito Bentes teve 367 atendimentos relacionados à dengue no mês de abril. Isso representa um aumento de 753% em comparação com o mês anterior, quando atendeu 43 pacientes com os mesmos sintomas. Na UPA Trapiche da Barra, por sua vez, os dados mostram 600% de crescimento, passando de nove atendimentos em março, para 63 no mês de abril.

*Com informações da TV Gazeta

fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente