A Hora da Notícia

Com autoridade, CSA goleia o Paysandu, avança na Copa do Brasil e embolsa R$ 1,9 milhão: 4 a 1

Teste Banner Anuncio Titulo Post

Ailton Cruz

O CSA não tomou conhecimento do Paysandu, na noite desta quarta-feira (16), pela segunda fase da Copa do Brasil de 2022. Em partida disputada no Estádio Rei Pelé, em Maceió, o Azulão do Mutange venceu com autoridade o Papão, por 4 a 1, e está classificado para a próxima fase da competição. Além disso, o clube alagoano tem o direito a embolsar nada mais nada menos do que R$ 1,9 milhão, por ter passado de fase. https://7dcecfa2ceec92c9e22d6fde1f2b1de3.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Os gols do CSA foram marcados por Werley duas vezes, um em cada tempo; por Yann Rolim e por Lucas Barcelos, esses dois na etapa final. Clique aqui para ver o Tempo Real

O detalhe foi que o Trapichão recebeu um grande número de torcedores, graças à liberação de público, após a flexibilização das medidas sanitárias em relação à pandemia da Covid-19. Outro detalhe foi que, antes de a bola rolar, houve a homenagem ao técnico Mozart Santos, que nesta quarta completou 100 jogos como treinador profissional e recebeu uma placa comemorativa da diretoria azulina. Na hora da comemoração de um dos gols, a grade de proteção das arquibancadas caiu e a torcida do CSA, que foi em grande número ao estádio, tirou por questão de segurança, segundo relatos de torcedores que estavam no local.

O Azulão do Mutange volta as atenções, agora, para a Copa do Nordeste, pois terá confronto já neste sábado (19), válido pela última rodada (8a) da fase de grupos. Será contra o Altos-PI, às 17h45, no mesmo Rei Pelé. Já o Papão enfrenta o Tapajós, pelas quartas de final do Campeonato Paraense, no domingo (20), às 9h30, no Estádio Francisco Vasques, o Souza, em Belém-PA.

1º Tempo

Momento do gol de Werley

O CSA começou o jogo com calma, e pensando na formação da jogada, sem afobação. No primeiro minuto, em tentativa azulina, Osvaldo recebeu a bola pela direita e tentou lançar uma bicicleta, mas acabou furando. Chegando aos 5 minutos, o Azulão do Mutange era quem pressionava. Aos 4min, por exemplo, o zagueiro Werley levantou a bola na área, mas Marcão subiu e cortou de cabeça.

O CSA jogava lá na frente e não deixava o Papão sair para o jogo, que se fechava todo e, ao mesmo tempo, não dava espaço para o time alagoano jogar.

O Paysandu começou a gostar da partida, pressionando muito, José Aldo se movimentava muito bem e deixava o setor direito como o mais perigoso da equipe.

O que se via na partida, passando dos 15 minutos, era que o Paysandu começou sendo pressionado o tempo todo, mas quando chegou foi com perigo e mandou uma bola na trave. Isso foi aos 18 minutos, quando Marlon recebeu na entrada da área do CSA e chutou forte, mas viu a bola bater na trave de Marcelo Carné.

Chegando aos 25min, o CSA se postava todo no campo de ataque, mas não finalizava. Quando tentou, com Marco Túlio, após roubo de bola, ele acabou mandando a bola fácil demais para a zaga do Paysandu. Aos 27’, em Contra ataque do Paysandu, José Aldo desceu pela direita, encontrou o lateral João Paulo, que enfiou a bola adiantada para José Aldo de novo receber e finalizar, mas a pelota acabou nos pés de Gabriel.

Torcida agitada no Rei Pelé arranca as grades de proteção da arquibancada

Quem não faz, leva. E quem fez foi o CSA, aos 33 minutos. Depois da cobrança de escanteio de Osvaldo, a bola foi na área do Paysandu e sobrou para o zagueiro Werley, livre, bem na linha do gol, que mandou uma bomba para cima, indo a pelota morrer dentro do barbante: 1 a 0 para o Azulão. https://7dcecfa2ceec92c9e22d6fde1f2b1de3.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Aos 38min, quem assustou foi o Papão. Marlon recebeu de Toscano pelo meio, cortou para dentro e sentou uma bomba na meta azulina, fazendo o goleiro Marcelo Carné trabalhar e defender, livrando o perigo. Aos 42min, a zaga do Paysandu conseguiu afastar a bola da área, mas ela caiu nos pés de Yann Rolim, que lançou colocada, uma linda a bola, mas o goleiro Elias se esticou todo e defendeu de mão trocada. Desta vez foi o Papão quem se livrou do perigo.

O árbitro decretou 2 minutos de acréscimos e, chegando aos 47 minutos, sem mais emoções, ele apitou o final da primeira etapa, com a vitória parcial do CSA, por 1 a 0.

2º Tempo

Momento da comemoração do segundo gol do CSA – Foto: Ailton Cruz

No início do segundo tempo, o CSA levou logo um susto, quando a defesa falhou e Toscano chutou com perigo, mas Marcelo Carné fez grande defesa. Em seguida, após uma outra falha do Azulão, Danrlei conseguiu chutar, em cima de Carné, que fez outra defesa de pagar ingresso, aos 2 minutos.

De tanto errar as finalizações, o CSA acabou levando o gol de empate. Marlon recebeu de Toscano, pela esquerda, que enxergou Danrley na direita, livre de marcação, e ele inverteu o jogo e cravou uma bica para o fundo do barbante, desta vez sem chance pra Carné: 1 a 1, aos 7 minutos.

Mas a resposta do CSA foi imediata. Aos 15 minutos, veio o segundo gol azulino. Igor bateu o escanteio da direita, o zagueiro Werley subiu e cabeceou forte para faze o segundo dele no jogo e o segundo do CSA: 2 a 0. E quando a torcida azulina ainda comemorava o segundo tento, eis que veio o terceiro. Aos 18min, Felipe Augusto, em jogada pela esquerda, cruzou rasteiro, Héverton falhou e Yann Rolim aproveita ou para mandar para o fundo da rede: 3 a 1, explodindo de alegria a torcida azulina nas arquibancadas do Rei Pelé.

A essa altura o técnico Mozart já tinha feito substituições no CSA. A mesma coisa fez o técnico Marcio Fernandes, do Papão. Cinco minutos depois veio o quarto gol do CSA. Não percam as contas. Lucas Barcelos antecipou-se, invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para o goleiro Elias: 4 a 1.

Momento do jogo com CSA e Paysandu em ação – Foto: Ailton Cruz

Chegando perto dos 30 minutos, o CSA dominava a partida, tocava a bola com calma, mantendo o relógio a seu favor e tentava encaixar o lance para o quinto gol, que quase saiu aos 31 minutos. O goleiro do Paysandu saiu jogando errado, se atrapalhou na frente de Rodrigo Rodrigues, que quase guardou a bola na rede, mas acabou finalizando para fora. https://7dcecfa2ceec92c9e22d6fde1f2b1de3.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

A partida passava dos 35 minutos e o CSA não tinha pressa alguma, trocava passes e administra o excelente resultado. Como no primeiro tempo, o árbitro assinalou apenas dois minutos de acréscimos. O Paussandu ainda assustou aos 45 minutos, quando José Aldo apareceu livre, pelo lado direito, e cruzou. Herverton cabeceou forte e a bola passou perto do gol. Sem mais tempo para nada, o duelo foi encerrado aos 47 minutos, com a vitória e a classificação do Azulão sacramentadas: 4 a 1.

Mais um momento da comemoração de Werley, autor de dois gols do CSA no jogo – Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CSA – Marcelo Carné; Igor, Werley, Wellington e Ernandes; Geovane (Cedric), Yann Rolim (Giva Santos) e Gabriel (Willian); Marco Túlio (Lucas Barcelos), Osvaldo (Felipe Augusto) e Rodrigo Rodrigues. Técnico: Mozart Santos.

Paysandu – Elias; Igor Carvalho, Genilson, Marcão (Heverton) e João Paulo; Bileu (Danrlei), Mikael, Ricardinho (Serginho) e Marlon; José Aldo e Marcelo Toscano (Enam). Técnico: Márcio Fernandes.

Árbitro – Rodrigo Batista Raposo (CBF-DF).

Assistentes – Lucas Costa Modesto (CBF-DF) e Lehi Sousa Silva (CBF-DF).

Quarto árbitro – Helder Brasileiro de Aquino (CBF-AL).

– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas

      fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente