A Hora da Notícia

Contra o lanterna Jaciobá, CRB leva sufoco e fica no empate por 1 a 1, em Arapiraca

Teste Banner Anuncio Titulo Post

Momento do gol de Longuine, para o CRB

Contra o lanterna Jaciobá, o CRB entrou em campo com um time chamado alternativo, passou sufoco, levou um susto quando ficou atrás no placar, mas, dos males o menor: conseguiu ao menos o empate por 1 a 1, na noite desta quinta-feira (24), no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. O jogo foi válido pela 4ª rodada do Campeonato Alagoano.

O JAC abriu o placar no início do 1º tempo, com Batatinha; e o Galo empatou com Longuine, na segunda etapa. Com este resultado, o Galo fica na 5ª colocação, com 5 pontos; e o Jaciobá soma apenas um pontinho, permanecendo na lanterna da competição. Clique aqui para ver o Tempo Real

Pelo Alagoano o próximo adversário do Galo será o Desportivo Aliança, neste domingo (27), às 16h, pela 5ª rodada. Enquanto o Jaciobá vai receber o Murici, também neste domingo (27) e no mesmo horário, no Municipal, em Arapiraca.

1º Tempo

Jogadores do JAC quando comemoravam o gol sobre o CRB – Foto: Ailton Cruz

Quem começou botando pressão no jogo foi o CRB, no campo de ataque, fazendo uma verdadeira blitz em cima do JAC. Aos 3min, Alan James teve liberdade para fazer o cruzamento, mas Reginaldo furou no momento do chute. Aos 6’, em escanteio para o Galo, Longuine bateu, a defesa afastou, Longuine de novo jogou na área do Azulão, mas Alan James, ao tentar a finalização, foi travado.

Quem pressionava era o CRB, mas o gol que saiu, aos 9 minutos, foi do Jaciobá, que aproveitou uma falha da zaga regatiana, que deu bobeira, e abriu o placar. Batatinha simplesmente tirou do goleiro Arthur Bittencourt e só empurrou para a meta: 1 a 0.

O Galo quase chegou ao empate aos 13min. Longuine bateu o escanteio, a defesa cortou e Jean Patrick bateu, mas a bola desviou e foi pertinho da trave direita de Emanuel. O JAC respondeu aos 16min. Francescoli arriscou o chute da entrada da área, com efeito, mas Arthur Bittencourt se esticou e deu um tapinha, botando para escanteio, para salvar o time vermelho e branco.

Chegando aos 20 minutos, o Jaciobá era melhor, conseguia atrapalhar as jogadas ofensivas do CRB, atacava com perigo e recompunha com rapidez, tentando surpreender. Em uma grande jogada do CRB, aos 23’, Longuine bateu dentro da área, com força, e o goleiro fez uma grande defesa, livrando o perigo. O perigo rondou de novo o gol do JAC, aos 28 minutos: Jean Patrick finalizou com efeito, mas o goleiro Emanuel se esticou todo e salvou a sua equipe.

O duelo chegava aos 35 minutos e o JAC, à frente no placar, passou a fazer a famosa cera, deixando os jogadores do Galo na bronca. Aos 36’, o Regatas assustou: Emerson Negueba recebeu o passe em profundidade, avançou em direção à meta e chutou forte, vendo a bola passar perto da trave direita de Emanuel, que nem viu a cor da redonda. Aos 38’, de novo o CRB chegou, mas Gustavo Apis perdeu a chance do empate, pois, na cara do gol, ele abaixou a cabeça e chutou na rede pelo lado de fora.

Aos 43 minutos, Gustavo Apis roubou a bola e tocou para Alan James, que bateu em cima do goleiro, perdendo uma chance incrível de fazer o gol do empate regatiano. O árbitro deu 6 minutos de acréscimos à etapa inicial, que foi até os 51 minutos, com o placar de 1 a 0 em favor do JAC.

2º tempo

CRB e Jaciobá se enfrentaram no Coaracy da Mata, em Arapiraca – Foto: Ailton Cruz

Na etapa final, o CRB começou mal, todo perdido em campo, assim como terminou na segunda etapa. E o JAC travava o tempo de bola rolando, para administrar a vantagem. A partida se aproximava dos 10 minutos e o Galo teve um escanteio a seu favor, mas quando Longuine cobrou, a bola passou por todo mundo. Gustavo Apis chutou com perigo, mas Emanuel espalmou, mandando pela linha de fundo. Novo escanteio, aos 11min, mas a bola passou por toda a área e ninguém aproveitou.

O time do Jaciobá voltou melhor, administrava o jogo, segurando o resultado, enquanto o Galo chegava, mas ninguém arriscava uma boa finalização. O jogo foi paralisado aos 13 minutos para atendimento de Michel, do JAC. Ficou paralisado por quase 3 minutos. Foi o tempo em que o técnico Marcelo Cabo aproveitou para fazer alterações em sua equipe. Aos 22’, em tentativa do Galo, Reginaldo cruzou na área, a bola passou por todo mundo e saiu pela lateral do outro lado do campo. Mais uma chance desperdiçada. Faltava mais paciência por parte do Galo na hora de finalizar.

Um minuto depois, na sobra da bola, Rafael Longuine, na frente da área, fuzilou, mas a pelota foi longe, por cima. Era o CRB pecando na última bola. E o tempo passava. A pressão regatiana era constante e, de tanto tentar uma hora a bola entra. Aos 29 minutos, após cobrança de escanteio, Longuine, livre de marcação, aproveitou o bate-rebate e deixou tudo igual no Municipal: 1 a 1.

Com o empate, o JAC voltou a fazer cera, para deixar o tempo passar, irritando os jogadores e a comissão técnica do Regatas. Isso com o duelo já seguindo para os 37 minutos. A partir de então, os dois técnicos fizeram mais mudanças em suas equipes.

A partida passava dos 40 minutos e o empate persistia. O JAC valorizava o resultado, parava o jogo, e o CRB ficava na bronca, com tantas paralisações. O árbitro decretou 10 minutos de acréscimos, por causa de tanta cera do JAC. Aos 47 minutos, quase veio o segundo gol do Jaciobá. Batatinha levantou a bola na segunda trave, Álvaro ajeitou de cabeça e Caranguejo, na pequena área, mandou por cima, perdendo uma chance incrível.

Com o jogo chegando ao final, o CRB ficou todo no ataque, pressionava, tinha pressa e buscava do gol da virada. Mas ele não veio e, aos 55 minutos, fim de papo em Arapiraca, com o empate por 1 a 1.

Técnico do CRB, Marcelo Cabo ficou na bronca com a arbitragem – Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

Jaciobá – Emanuel; Léo Rito (Brendo), João Marcos e Júnior (Jordan); Michel, Diego Santos (Rudinho), Batatinha e Ramon; Caranguejo, Francescoli e Álvaro. Técnico: Distéfano Brandão.

CRB – Arthur Bittencourt; Reginaldo (Wellington), Matheus Mega (Gabriel), Alan Uchoa e Bryan (Lucas Boneti); Yago, Jean Patrick (Dudu) e Rafael Longuine; Emerson Negueba (Riquelme), Alan James e Gustavo Apis. Técnico: Marcelo Cabo.

Árbitro – Márcio dos Santos Oliveira (AL).

Assistentes – Benilson dos Santos Silva (AL) e Geovânio de Almeida Santos (AL).

Quarto árbitro – Gleiton Lins Vieira (AL).

– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas
– Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas

    fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente