A Hora da Notícia

CSE domina o Murici no Juca Sampaio, vence e pega o Cruzeiro nas semis da Copa Alagoas: 2×0

Teste Banner Anuncio Titulo Post

Ítalo/ASCOM CSE

O CSE é semifinalista da Copa Alagoas 2022. Na noite desta quinta-feira (17), o Tricolorido enfrentou o Murici, no Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios, e venceu por 2 a 0, gols do atacante Thiago Recife, de pênalti, no comecinho do primeiro tempo, e na etap final . O lance foi polêmico e gerou dúvidas por parte de quem narrava a partida.

Calendário

Agora, o CSE vai medir forças contra o Cruzeiro de Arapiraca pelas semifinais, neste domingo (20), às 15h, novamente no Juca Sampaio. A saber, o Azulão eliminou o CRB mais cedo. Os outros dois semifinalistas são Desportivo Aliança e ASA, que jogarão neste sábado (19), às 15h, no Estádio da Ufal. No que lhe toca, o Murici foca agora na semifinais do Campeonato Alagoano. A equipe se classificou e encara o ASA. Horário e local ainda será confirmado pela Federação Alagoana de Futebol (FAF).

1º Tempo

A etapa inicial começou bem agitada, disputada. As duas equipes exploraram muitas jogadas pelas pontas. Aos oito minutos, Wiomar Santama marcou pênalti polêmico em cima de Thiago Recife para o CSE. O atacante bateu com força, no canto esquerdo, vencendo o goleiro Ferreira: 1 a 0. Com os jogadores muito separados, o Murici apresentou dificuldades do meio para a frente.

Muitas das tentativas de ataques acabaram sendo recuadas porque não havia atletas com quem trocar passes no setor ofensivo. O CSE ameaçou aos 26 minutos. Marcos levantou na área, Edson cabeceou, exigindo boa defesa de Gustavo, mas o assistente já tinha marcado impedimento.

Com a vitória, Tricolorido vai enfrentar o Cruzeiro-AL em uma das semifinais – Foto: Ítalo/ASCOM CSE

Instantes depois, quase que o Murici empatou com gol olímpico. Lucas cobrou escanteio com efeito. Gustavo deu um tapa para a linha de canto. Mais bem aplicado na marcação, o CSE pouco foi ameaçado e ainda ditou o ritmo de jogo. Ainda assim, não criou poucas jogadas articuladas. Já a equipe da Zona da Mata recorreu às bolas paradas, principalmente, para empatar.

No aspecto técnico-tático, o duelo deixou a desejar. Houve muitas faltas, bate-rebate entre os volantes no meio, recuos perigosos, reclamação da torcida e um cartão amarelo para o auxiliar dos mandantes. Em suma, o Murici não conseguiu transformar a maior posse de bola em gols, e o Tricolor só abriu o placar no começo, atrapalhou a já confusa estratégia do adversário e sentou no resultado: 1 a 0.

Murici deixou muito a desejar ofensivamente no primeiro tempo – Foto: Jaílson Colacio/MFC

2º Tempo

O Murici tentou agredir mais na reta final, com intensidade, e conseguiu equilibrar um pouco o duelo no começo. Mas quem assustou foi o CSE. Aos 4min., Charles ficou perto de fazer o 2º do time visitante. Renato jogou na grande área, Tiago Recife passou da redonda e Charles quase empurrou para a rede, de carrinho.

No lance, o goleiro Severino ficou caído, sentindo dor. O jogo ficou lá e cá, com muita entrega e pouca qualidade por parte de ambos. Aos 10′, Adrian recebeu de Recife na intermediária, ajeitou para fuzilar, mas Adalberto, fazendo grande leitura da jogada, se jogou no lance, evitando complicações para Severino.

Metade da etapa fina foi marcada por muitas faltas, bate-rebate e irritação do torcedor presente – Foto: Jaílson Colacio/MFC

Pelo lado do CSE, Edinho e Lima participaram de praticamente todas as jogadas de armação. No Verdão, Morais, camisa 10, exerceu a mesma função, na construção das jogadas, juntamente com Edson, que tentou incomodar na frente, mas esbarrava na marcação. Diante disso, os treinadores fizeram algumas alterações para melhorar o nível técnico.

Até que, a marca dos 26 minutos, Severino fez grande lambança, derrubando o atacante do CSE. Pênalti claro! Tiago Recife repetiu a precisão, com ainda mais categoria. Goleiro para um lado e bola para o outro: 2 a 0 CSE com méritos!

O CSE foi cirúrgico na etapa final ao ampliar o placar, que poderia ter sido maior – Foto: Jaílson Colacio/MFC

Depois, Lucão salvou o Murici, evitando o terceiro do Tricolor, que seguia atacando freneticamente. Após lindo lançamento de Charles, Edinho ficou cara a cara com Severino, porém, demorou demais para concluir até que a zaga mandante conseguiu cortar em cima da linha.

Por incrível que pareça, o mesmo lance aconteceu instantes depois. Com o Murici totalmente, Edinho correu novamente sozinho em direção à meta oponente, rolou par Tiago Recife, contudo, o atacante, já cansado, foi atrapalho pelo zagueiro.

Ficha Técnica

CSE – Gustavo; Anderson, Renato, Erivelton (Almir) e Maurício; Jeanderson, Quiroga e Marcos; Tiago Recife, Edson e Wanderson. Técnico: Alyson Dantas

Murici – Ferreira; Wagner, Alex, Adalberto e Ramon; Lucas, James e João Vitor; Edson, Morais e Tadeu. Técnico: Jadson Oliveira.

Árbitro – Wiomar Santana de Oliveira (FAF)

Assistentes – Lennon Mccartney Farias Paes (FAF) e Geovanio de Almeida Santos (FAF)

Quarto árbitro – Carlos Vitor Oliveira Alves (FAF)

fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente