A Hora da Notícia

Diesel atinge novo recorde e preço médio já passa de R$ 7 em 12 estados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

FOTO: Reuters

Com o repasse do último reajuste nas refinarias da Petrobras, o preço do diesel nos postos brasileiros subiu 3,2% esta semana e atingiu novo recorde desde o início da pesquisa semanal de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), em 2004.


O preço médio do combustível chegou a R$ 6,847 por litro. O valor é 2,9% superior ao recorde atingido na semana de 19 de março, logo após os mega-aumentos promovidos pela Petrobras, e 44% superior ao pior período da greve dos caminhoneiros de 2018.A pesquisa da ANP encontrou o litro de diesel a até R$ 8,300, em Cruzeiro do Sul (AC). O preço máximo detectado pela agência esta semana, porém, é 1,1% inferior ao verificado na semana anterior, em Porto Seguro (BA).


Em 12 estados, o preço médio do combustível já passa de R$ 7 por litro. A média estadual mais alta foi verificada no Acre: R$ 8,067 por litro.


O reajuste no preço do diesel anunciado pela Petrobras na segunda-feira (9) provocou a demissão do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que foi substituído por Adolfo Sachsida, que assessorava o ministro da Economia, Paulo Guedes.


A empresa alegou que precisava acompanhar a evolução das cotações internacionais do produto, que já tinha defasagens superiores às verificadas antes do mega-aumento de março. O aumento, de 8,87%, porém, não foi suficiente para zerar a diferença.


Segundo dados da Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis), a defasagem entre o preço médio do diesel nas refinarias brasileiras e a paridade de importação está hoje em R$ 0,57 por litro.

A diferença é ainda maior no preço da gasolina, que teve o último reajuste há mais de dois meses: R$ 1,07. O mercado, porém, avalia que a Petrobras deve suportar perdas por mais tempo, diante da pressão do governo contra reajustes.
Logo em sua posse, o novo ministro de Minas e Energia prometeu estudos para privatizar a estatal. No dia seguinte, o governo entrou com ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para tentar forçar os estados a baixar o ICMS sobre o diesel.


Nas bombas, o preço da gasolina ficou estável esta semana, em R$ 7,298 por litro, apesar da queda da cotação do etanol anidro, que representa 27% da mistura vendida nos postos. Em duas semanas, o produto recuou 7,7% nas usinas de São Paulo.


O etanol hidratado vem caindo com mais intensidade nas usinas: em duas semanas, acumula recuo de 13,7%. Nas bombas, o preço médio do combustível caiu 2,1% esta semana, para R$ 5,323 por litro.


Segundo a ANP, o preço do botijão de gás de 13 quilos permaneceu estável novamente, em R$ 112,93.   fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente