A Hora da Notícia

Dívida dos alagoanos somam quase R$ 3 bilhões, aponta Serasa

Teste Banner Anuncio Titulo Post

FOTO: Marcello Casal jr/Agência Bras

Dados da Serasa mostram que 882.044 alagoanos estão endividados, o que representa 36,41% do total da população adulta do Estado. Ao todo, o montante de dívidas dos alagoanos chega à marca de R$ 2,9 bilhões. Em todo o Brasil, são 65,2 milhões de consumidores endividados, que devem R$ 263,4 bilhões.

Os números mostram que o valor médio das dívidas dos alagoanos é de R$ 3.288,17. Contudo, o levantamento da Serasa aponta que o perfil da dívida dos alagoanos é diferente do cenário nacional. Enquanto os bancos e cartões lideram as dívidas no cenário nacional, em Alagoas o principal motivo de endividamento dos alagoanos são gastos básicos como água, luz e gás.

As contas básicas representam 39,16% das dívidas dos alagoanos, segundo o Serasa. Logo em seguida aparecem as dívidas com bancos e cartões, com 28,76%, e, por fim, as dívidas do varejo com 7,96%. No cenário nacional,as dívidas com contas básicas representam 23,21% das dívidas em geral. A Serasa aponta ainda que, em Alagoas, por exemplo, são mais de 770 mil ofertas de dívidas disponíveis no Serasa Limpa Nome para serem quitadas por até R$ 1000,00. Mais de 622 mil ofertas podem ser quitadas por até R$ 500,00 e mais de 259 mil pelo valor de até R$ 100,00.

Pesquisa feita pela entidade aponta também que 26% dos entrevistados indicaram que pretendem utilizar o dinheiro liberado pelo saque extraordinário do FGTS para pagar dívidas de cartão de crédito e que 26% dos respondentes pretendem colocar as contas básicas, como água, luz e gás, em dia. Pelo menos 12% dos entrevistados afirmam que vão pagar dívidas contraídas em bancos e 8% pretendem quitar débitos feitos com familiares ou amigos. Apenas 13% afirmam que vão usar o FGTS para fazer compras em supermercados e 12% estão fazendo planos de investir a quantia a ser sacada na Caixa.

ada brasileiro deve, em média, R$ 4.042,08. Em relação ao perfil dos endividados em nível nacional, os homens representam 50,2% dos devedores, contra 49,8% das mulheres. Na divisão por faixa etária, a maior parte tem entre 26 e 40 anos de idade (35,3%), seguida pela faixa de 41 a 60 anos de idade (34,9%). O levantamento foi realizado durante entre os dias 12 e 14 de abril e ouviu mais de 1.679 usuários da Serasa. Desses, apenas 32% disseram ter saldo disponível no FGTS e 33% afirmaram não ter saldo na conta. De acordo com a Serasa, as recentes altas na taxa de juros, que encarece o crédito, e o desemprego ainda elevado, são as principais causas para o aumento do endividamento e da inadimplência.

A queda na renda média do trabalhador também afeta o pagamento de dívidas. Mesmo com a recuperação gradual do mercado de trabalho nos últimos meses, grande parte das pessoas estão encontrando empregos que pagam menos que o anterior, o que aumenta a dificuldade em quitar débitos em atraso. Para verificar as ofertas disponíveis em seu CPF, o consumidor não precisa estar negativado. Basta acessar os canais digitais da Serasa para consultar as oportunidades de renegociação com descontos especiais e opções de parcelamento.    fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente