A Hora da Notícia

Em pleno Rei Pelé, CSA é derrotado pelo Ituano e estaciona na 17ª posição: 3 a 1

Teste Banner Anuncio Titulo Post

Morgana Oliveira/Ascom CSA

Frustração e decepção. Esses foram os sentimentos da torcida azulina na noite deste sábado (30), quando o CSA perdeu para o Ituano, por 3 a 1, e se complicou na Série B do Brasileiro, pois não conseguiu deixar a zona do rebaixamento. A bola rolou em pleno Estádio Rei Pelé, que recebeu um bom público, mas o Azulão não se achou em campo e deixou mais uma vez a sua torcida na bronca. O duelo fechou a 21ª rodada da competição.

Marcaram os gols do Ituano Rafael Elias (duas vezes), sendo um em cada tempo e um deles cobrando pênalti, e Mário Sérgio, este no 1º tempo. Já para o CSA, marcou Yann Rolim, no finalzinho do 2º tempo. Detalhe, o Ituano teve um jogador expulso – Calyson -, na segunda etapa. Veja como foi o Tempo Real!

Agora, com este resultado, o time azulino de Alberto Valentim estaciona na 17ª colocação na tabela, somando 20 pontos. Por sua vez, a equipe de Itu é a 12ª colocada, com 26.

O próximo embate azulino será apenas no sábado que vem (dia 6 de agosto), na Arena Fonte Nova, onde visitará o Bahia, às 16h30. E o Ituano voltará a campo um dia antes, na sexta-feira (5 de agosto), contra o Vila Nova, no Serra Dourada, a partir das 19 horas. Ambos os jogos são pela 22ª rodada da Segundona.

CSA decepcionou a sua torcida ao perder para o Ituano – Foto: Morgana Oliveira/Ascom CSA

1º Tempo

O CSA começou indo ao ataque, fazendo pressão em cima do time do Ituano. Aos 3 minutos, Diego Renan cobrou um lateral para dentro da área, mas Rodrigo Rodrigues não dominou. Quando o CSA recuava mais, a torcida ficava na bronca porque queria que o time azulino fosse ao ataque.

Aos 8 minutos, em cobrança de falta para o CSA, Gabriel tentou a jogada ensaiada, mas não funcionou, pois a bola saiu pela linha de fundo. A partida chegava aos 10 minutos e o que se via era que as duas equipes saíam para o jogo, deixando-o movimentado, mas com o Azulão tendo mais posse de bola. Detalhe no Azulão foi a estreia do meia argentino Canteros.

Aos 13min foi Canteros quem tentou encontrar uma boa batida para cruzar na área, mas acabou mandando a pelota pela linha de fundo, desperdiçando uma boa chegada do CSA. O Ituano respondeu aos 16min, quando Bernardo deu um ótimo lançamento para Aylon, este tentou cruzar por baixo e a zaga afastou. Na sobra, Kaio acabou finalizando mal, pois a redonda subiu demais.

Chegando próximo dos 20 minutos, a partida era de poucas finalizações. O CSA até que chegava, mas não finalizava. Quando chegou, aos 20min, Osvaldo se livrou do marcador, mandou no ângulo e o goleiro defendeu. Só que o árbitro assistente tinha marcado impedimento na jogada.

O Ituano chegou com perigo, aos 22 minutos. Após boa troca de passes, Rafael Elias bateu forte, obrigando o goleiro Marcelo Carné a espalmar para fazer uma grande defesa. O time azulino pressionava e não finalizava, assim, de nada adiantava. E eis que, aos 24 minutos, veio o castigo. Mário Sérgio conseguiu um bom lançamento para Rafael Elias, que limpou a marcação e, de fora da área, acertou o cantinho de Marcelo Carné, sem chances: 1 a 0 para o Ituano.

O lance do gol do time de Itu ainda foi verificado no VAR, mas acabou sendo confirmado, pois saiu de uma jogada legal. E assim o ponteiro se encaminhava para os 30 minutos na primeira etapa. E, por reclamar demais, o técnico do CSA, Alberto Valentim, levou o cartão amarelo.

Aos 32 minutos, Diego Renan, do CSA, chutou na barreira e, em seguida, na marcação. A bola sobrou na área e o goleiro Pegorari saiu de soco, dividindo com Rodrigo Rodrigues. Os jogadores azulinos pediram pênalti, mas o árbitro mandou seguir sem sequer verificar no VAR. Depois do gol, o CSA voltou a pressionar. Aos 35min, Gabriel recebeu a bola de Canteros, dentro da área, mas Bernardo chegou e mandou um chutão para longe.

E o que já não estava bom ficou pior para o CSA. Isso porque, aos 39 minutos, o time azulino recebeu mais uma ducha fria: o segundo gol do Ituano. Aylon recebeu na direita e cruzou no segundo pau para Mário Sérgio, livre, apenas mergulhar e testar para o fundo da rede: 2 a 0.

A desvantagem no placar deixou os jogadores do CSA nervosos, sem conseguir mais se encontrar em campo. O árbitro deu 4 minutos de acréscimos ao tempo inicial. Em uma boa chance azulina, aos 47 minutos, Gabriel cobrou levantando na área e Rafael Pereira cortou. E, aos 49 minutos, fim de papo no 1º tempo e vaias da torcida azulina no time, por todo o estádio.

CSA parecia perdidinho em campo, sem nenhuma reação – Foto: Morgana Oliveira/Ascom CSA

2º Tempo

O terror para o CSA já começou logo no início da segunda etapa. Aos 3 minutos, Mário Sérgio recebeu a bola na esquerda e cruzou. A redonda desviou em Igor – que tinha entrado nessa etapa – e o árbitro viu toque no braço do jogador, marcando a penalidade. Aos 5 minutos, com direito a paradinha e tudo, Rafael Elias cobrou, tranquilão, deslocando Marcelo Carné e guardou, ampliando o placar: 3 a 0.

Depois do terceiro gol, teve alguns torcedores azulinos que chegaram a deixar o estádio, decepcionados e sem acreditar no que via. E os muitos que ficaram xingavam, vaiavam e davam olé na equipe maruja. Assim, o jogo chegava aos 10 minutos e o Ituano seguia trocando passes enquanto o Azulão, não conseguia recuperar a posse, perdidão.

O técnico Alberto Valentim, que já tinha feito, no intervalo, duas mudanças no time azulino, fez mais duas logo no início. No desespero, aos 12 minutos, Gabriel tentou o lançamento na área para John Mercado, que tinha acabado de entrar, mas a zaga do Ituano fez o corte.

O jogo passava dos 20 minutos e o CSA tentava penetrar na defesa do Ituano, que se fechava todinho. Aos 22 minutos, em tentativa azulina, Osvaldo cobrou o escanteio fechado, mas viu Pegorari evitar o gol olímpico. Aos 27 minutos, o time de Itu ficou com um homem a menos em campo. Isso porque , dois minutos depois de entrar em campo, Calyson deu uma entrada violenta em jogador do CSA e acabou recebendo o cartão o vermelho direto.

Nem com um jogador a mais em campo, o CSA, já abatido, conseguiu o golzinho de honra, ao menos para diminuir a vantagem do adversário. Aos 35min, após cobrança de falta, Osvaldo bateu na direção do gol, a bola bateu no zagueiro Léo Santos, do Ituano, e Pegorari segurou. Quase era um gol contra!

O jogo chegava aos 40 minutos e o CSA não esboçava mais nenhum poder de reação. Parecia perdido em campo e sem acreditar no que via. Enquanto isso, o Ituano ia trocando passes com toda a tranquilidade do mundo. Mas acreditem: apesar disso, o time azulino ainda fez o dele, de honra. Aos 43min, Werley deu um belo passe para Yann Rolim, dentro da área. Sozinho, ele girou e bateu no cantinho para vencer Pegorari e diminuir. O gol ainda foi visto no VAR, mas foi confirmado: 3 a 1.

O árbitro deu 5 minutos de acréscimos à partida em sua segunda etapa, depois deu mais um minutos e, aos 51 minutos, ele deu o apito final, sacramentando o resultado, com a boa vitória do Ituano, em pleno Rei Pelé: 3 a 1. E a vaia correu solta da torcida azulina, em forma de protesto, em cima do time marujo.

CSA levou de 3 a 0 do Ituano – Foto: Morgana Oliveira/Ascom CSA

Ficha Técnica

CSA – Marcelo Carné; Diego Renan, Werley, Lucão e Édson (Igor); Geovane (Yann Rolim), Canteros (Rogério), Gabriel e Lourenço (John Mercado); Osvaldo e Rodrigo Rodrigues (Elton). Técnico: Alberto Valentim.

Ituano – Pegorari; Raí Ramos, Rafael Pereira (Léo Santos), Bernardo e Mário Sérgio (Jiménez); Caique, Aylon (João Victor), Kaio e Lucas Siqueira; Gabriel Barros (Calyson) e Rafael Elias (Bruno Lopes). Técnico: Carlos Pimentel.

Árbitro – José Mendonça da Silva Junior (CBF/PR).

Assistentes – Ivan Carlos Bohn (CBF/PR) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (CBF/PR).

Quarto árbitro – Helder Brasileiro de Aquino (CBF/AL).

VAR – Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira (CBF/MG).

Assistente do VAR – Ciro Chaban Junqueira (CBF/DF).

fonte: gazetaweb

Compartilhe essa informação

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente