A Hora da Notícia

F1 confirma corridas classificatórias em Imola, Áustria e Brasil em 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
prefeitura junho

REUTERS/Amanda Perobelli

Sucesso no GP de São Paulo em 2021 após dois testes contestados na Inglaterra e na Itália, as corridas classificatórias estarão de volta à Fórmula 1 em 2022. Com aprovação de todas as dez equipes, o retorno da disputa foi confirmado; dessa vez, as provas serão realizadas nos GPs da Emilia-Romagna em Imola (abril), Áustria (julho) e novamente no Brasil (novembro) – e com mudança no sistema de pontuação.

Agora, ao invés dos três primeiros, os oito pilotos mais rápidos serão recompensados; de um a oito pontos do oitavo até o vencedor. As corridas classificatórias foram criadas para tornar as etapas mais atrativas; trata-se de uma disputa de 100 km, de 25 a 30 minutos, para definir as posições no grid de largada na prova principal, no domingo. Elas substituem a classificação padrão de três segmentos.   PUBLICIDADE

Outra mudança aprovada para 2022 consiste na definição do “pole position”; agora, o pole da etapa não será o vencedor da corrida classificatória, mas o piloto mais rápido da classificação de sexta-feira, que define as posições de partida para a chamada sprint race.

– Com o reconhecimento de todos que o formato trouxe benefícios positivos, três etapas sprint foram propostas para 2022, reconhecendo isso como um número sensato diante das pressões já existentes para esta temporada, com a introdução de grandes mudanças nos regulamentos – comunicou a F1.

Ainda de acordo com a categoria, as mudanças que entram em vigor no formato na próxima temporada, prevista para começar em 20 de março com o GP do Bahrein, foram definidas com base no retorno das equipes, da mídia e do público.

A disputa teve como vencedor inaugural, na Inglaterra, Max Verstappen. Valtteri Bottas, ex-Mercedes, ficou com a vitória e a pole nas edições da Itália e no Brasil. Os dois primeiros testes das provas classificatórias não caíram no gosto do público e dos pilotos.

No entanto, a última etapa em Interlagos se sobressaiu com o desempenho antológico de Lewis Hamilton. Desclassificado por uma irregularidade técnica na classificação de sexta, o britânico largou em 20º e, em 24 voltas, ganhou 15 posições primordiais para sua vitória no domingo.

Segundo o diretor-executivo da McLaren Zak Brown, as corridas classificatórias estiveram em risco de serem abandonadas em 2022 devido ao teto de gastos mais enxuto na F1 e o temor de potenciais prejuízos provocados às equipes por acidentes. Em 2021, a proposta foi aprovada sob um “seguro” de US$ 500 mil (ou R$ 2,6 milhões) para os times em caso de danos.

Como funciona?

As diretrizes para o formato em 2022 ainda não foram divulgadas, mas com base nas regras adotadas em 2021, as provas vão substituir em ocasiões pontuais o formato tradicional de classificação para o grid de largada da prova principal da etapa, no domingo. Embora usem o mesmo traçado, elas serão mais curtas; com a extensão de 100 km ou 30 minutos. Os pit stops não serão obrigatórios, mas o uso da asa móvel será permitido.

Alguns costumes típicos de um dia de corrida não farão parte da novidade; mesmo na presença do público no Circuito de Silverstone, não haverá, por exemplo, o desfile de pilotos antes da largada no sábado, ou a cerimônia de pódio padrão; em seu lugar, a F1 pode adotar outros ritos de premiação, como o uso de coroas de flores.

Formato do fim de semana

Na sexta-feira, a F1 deixará de promover dois treinos livres e realizará apenas um, seguido de uma classificação de três segmentos (Q1, Q2 e Q3) para definir o grid de largada das corridas classificatórias. Vale lembrar que os treinos serão mais tarde em 2022.

No sábado, será realizado o segundo e último treino livre antecedendo a corrida classificatória, cujos resultados vão determinar as posições iniciais dos 20 pilotos na prova principal, no domingo – que permanece com o formato inalterado.

SEXTA-FEIRA

  • Primeiro treino livre (60 minutos)
  • Classificação para a corrida do sábado (60 minutos, dividido em Q1, Q2 e Q3)

SÁBADO

  • Segundo treino livre (60 minutos)
  • Corrida classificatória de 100 km (sem pódio)

DOMINGO

  • Corrida de distância completa (cerca de 305 km)

Uso de pneus

Com menos sessões no fim de semana, as equipes receberão um jogo de pneus a menos do que o tradicional, com 12 ao todo. Na sexta-feira, serão disponibilizados dois sets dos compostos de escolha livre; porém, na classificação, será permitido apenas o uso de pneus macios – com cinco conjuntos disponíveis.

Para o treino livre do sábado, as equipes terão direito a um set de pneus de livre escolha; número que aumenta para dois na corrida classificatória. No domingo, serão utilizados os dois compostos restantes. Caso chova na sexta ou no sábado, os times poderão trocar pneus usados por um conjunto extra de pneus intermediários ou de pista molhada.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente