A Hora da Notícia

Governo anuncia extinção do desconto previdenciário de 14% nos salários da Educação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Governo anuncia extinção do desconto previdenciário de 14% nos salários da Educação

O desconto previdenciário de 14% nos vencimentos dos servidores aposentados da educação, em Alagoas, será extinto. O anúncio foi feito pelo governador Renan Filho em entrevista coletiva ontem (7). O desconto passou a ser implementado em dezembro de 2019, com a reforma da Previdência de Alagoas, causando revolta nos profissionais da área. Desde então, tem sido uma reivindicação permanente na pauta de negociações com o governo.

Antes da reforma, o desconto incidia nos salários que excedessem o teto da Previdência, atualmente em R$ 6.433,57. O governador informou que enviara esta semana à Assembleia Legislativa o projeto para “correção do rumo financeiro”. Renan já teria conversado com deputados e pedido apoio para aprovação da matéria. O governador também anunciou que a o governo investirá um grande aporte de recursos no Fundo Previdenciário para sustentar a retirada do desconto dos 14% dos inativos da educação.

Bolsa

Entre os projetos novos para a área, o governador revelou que será criada uma bolsa no valor de R$ 1.500 para os professores que queiram atuar com mentoria no retorno das atividades presenciais.

“Após conversar com os secretários George Santoro e Fabrício Marques, decidimos rever a Reforma da Previdência e retirar o desconto para os aposentados que ganham abaixo do teto do INSS, que, no caso da Educação, são todos. Além disso, com o retorno das aulas presenciais, os professores terão a opção de receber uma bolsa de R$ 1.500 ao mês para atuar com a mentoria de alunos. Quem optar por receber essa bolsa, vai acompanhar um grupo de alunos e trabalhar para a evolução destes estudantes”, afirmou o governador. Durante a entrevista o governador não falou em datas para implantação do projeto.

Em paralelo, o Governo do Estado vai buscar formas de aumentar os salários dos professores da rede estadual de ensino em todos os níveis da carreira. No momento, a Lei Federal 173 impede a elevação de salário de servidores públicos, mas o Estado vai, segundo Renan Filho, trabalhar para a valorização da carreira do magistério: “Apesar desta limitação [da lei], nós nos impomos o desafio de rever a carreira do magistério e elevar salário de todos os professores da rede estadual de Alagoas, do início ao fim da carreira”.

Maceió

Na reta final de luta deste primeiro semestre, o sindicato dos professores (Sinteal) mobiliza a base da categoria da rede municipal de educação de Maceió para uma semana decisiva do Movimento Unificado dos/as Servidores/as Públicos de Maceió, com a reunião de negociação com a Prefeitura de Maceió, na próxima sexta-feira (11).

A expectativa é que o governo municipal apresente, nesta rodada de negociação, um retorno positivo e respostas concretas quanto à pauta de reivindicações oficializada pelo Movimento Unificado. Segundo o sindicato, as pautas são:

Recomposição salarial pelo índice inflacionário;
Implantação das progressões por mérito e titulação;
Concessão imediata de aposentadorias;
Reimplantação das Consignações Sindicais;
Regularização da situação dos/as servidores/as redistribuídos/as pelos órgãos e secretarias.
Segundo a presidenta do Sinteal, Consuelo Correia, “a prefeitura precisa dar um retorno urgentes e definitivo quanto à pauta financeira e as demais reivindicações das categorias. Não dá para esperar mais, e vai ter respostas práticas como possíveis paralisações se não houver avanços”.

Consuelo disse que o Sinteal continua também negociando diretamente com a Semed a pauta específica da educação, que envolve pontos como a conclusão do processo de vacinação da categoria, melhores condições de trabalho e aquisição de equipamentos voltados ao ensino remoto, dentre outros.
Fonte – Extra

politica #politicaalagoana

fonte:

O desconto previdenciário de 14% nos vencimentos dos servidores aposentados da educação, em Alagoas, será extinto. O anúncio foi feito pelo governador Renan Filho em entrevista coletiva ontem (7). O desconto passou a ser implementado em dezembro de 2019, com a reforma da Previdência de Alagoas, causando revolta nos profissionais da área. Desde então, tem sido uma reivindicação permanente na pauta de negociações com o governo.

Antes da reforma, o desconto incidia nos salários que excedessem o teto da Previdência, atualmente em R$ 6.433,57. O governador informou que enviara esta semana à Assembleia Legislativa o projeto para “correção do rumo financeiro”. Renan já teria conversado com deputados e pedido apoio para aprovação da matéria. O governador também anunciou que a o governo investirá um grande aporte de recursos no Fundo Previdenciário para sustentar a retirada do desconto dos 14% dos inativos da educação.

Bolsa

Entre os projetos novos para a área, o governador revelou que será criada uma bolsa no valor de R$ 1.500 para os professores que queiram atuar com mentoria no retorno das atividades presenciais.

“Após conversar com os secretários George Santoro e Fabrício Marques, decidimos rever a Reforma da Previdência e retirar o desconto para os aposentados que ganham abaixo do teto do INSS, que, no caso da Educação, são todos. Além disso, com o retorno das aulas presenciais, os professores terão a opção de receber uma bolsa de R$ 1.500 ao mês para atuar com a mentoria de alunos. Quem optar por receber essa bolsa, vai acompanhar um grupo de alunos e trabalhar para a evolução destes estudantes”, afirmou o governador. Durante a entrevista o governador não falou em datas para implantação do projeto.

Em paralelo, o Governo do Estado vai buscar formas de aumentar os salários dos professores da rede estadual de ensino em todos os níveis da carreira. No momento, a Lei Federal 173 impede a elevação de salário de servidores públicos, mas o Estado vai, segundo Renan Filho, trabalhar para a valorização da carreira do magistério: “Apesar desta limitação [da lei], nós nos impomos o desafio de rever a carreira do magistério e elevar salário de todos os professores da rede estadual de Alagoas, do início ao fim da carreira”.

Maceió

Na reta final de luta deste primeiro semestre, o sindicato dos professores (Sinteal) mobiliza a base da categoria da rede municipal de educação de Maceió para uma semana decisiva do Movimento Unificado dos/as Servidores/as Públicos de Maceió, com a reunião de negociação com a Prefeitura de Maceió, na próxima sexta-feira (11).

A expectativa é que o governo municipal apresente, nesta rodada de negociação, um retorno positivo e respostas concretas quanto à pauta de reivindicações oficializada pelo Movimento Unificado. Segundo o sindicato, as pautas são:

Recomposição salarial pelo índice inflacionário;
Implantação das progressões por mérito e titulação;
Concessão imediata de aposentadorias;
Reimplantação das Consignações Sindicais;
Regularização da situação dos/as servidores/as redistribuídos/as pelos órgãos e secretarias.
Segundo a presidenta do Sinteal, Consuelo Correia, “a prefeitura precisa dar um retorno urgentes e definitivo quanto à pauta financeira e as demais reivindicações das categorias. Não dá para esperar mais, e vai ter respostas práticas como possíveis paralisações se não houver avanços”.

Consuelo disse que o Sinteal continua também negociando diretamente com a Semed a pauta específica da educação, que envolve pontos como a conclusão do processo de vacinação da categoria, melhores condições de trabalho e aquisição de equipamentos voltados ao ensino remoto, dentre outros.
Fonte – Extra

politica #politicaalagoana

fonte: blog.politicaalagoana.com.br

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente