A Hora da Notícia

Ônibus passarão a rodar em horário reduzido entre terça e quinta-feira da próxima semana

Trabalhadores do setor não descartam possibilidade de greve geral a partir da próxima sexta-feira (9)
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Ônibus passarão a rodar a partir das 10h entre terça e quinta-feira da próxima semana foto: Ailton Cruz

Os rodoviários de Maceió decidiram neste sábado (3), durante assembleia geral, que o transporte coletivo da capital alagoana só irá rodar a partir das 10h, entre terça (6) e quinta-feira (8) da próxima semana. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Alagoas (Sinttro-AL), caso os empresários do setor não aceitem as reivindicações da categoria, os trabalhadores irão deflagrar greve geral a partir da sexta-feira (9).

Segundo o Sinttro-AL, após várias audiências realizadas pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), com a participação dos empresários e de representantes da Prefeitura, trabalhadores e empresários não chegaram a um consenso com relação à manutenção de dois benefícios importantes para a classe: o plano de saúde e o ticket alimentação.

“Desde o começo do ano, quando o Sinttro começou as tratativas com o sindicato patronal quanto à negociação da data base atual, os empresários manifestaram sua posição de não mais arcar com os dois benefícios que já haviam sido conquistados a alguns anos”, informou o sindicato, por meio de assessoria. “A alegação deles é a queda no número de passageiros, ocasionada pela Pandemia, além da redução do valor da tarifa de ônibus autorizada pelo prefeito João Henrique Caldas”, completou.

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) rebate dizendo que as empresas não fazem nenhuma referência à questão da redução da tarifa, como o Sinttro alega.

O presidente do Sinttro, Sandro Reges, diz que a categoria não tem outra opção a não ser lutar pelos direitos trabalhistas. “A única alternativa viável diante da falta de humanidade dos empresários, que estão tirando o pão da nossa mesa e o nosso plano de saúde em plena pandemia, é paralisar geral”, ressaltou, horas antes da assembleia deste sábado.

Sinturb

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) disse que desde o início de 2021 vem buscando negociar com os rodoviários. “No entanto, é necessário ressaltar que o momento atual da pandemia de Covid-19 agravou ainda mais a saúde financeira das empresas”, ressaltou.

O sindicato ressaltou ainda que acionará o Ministério Público do Trabalho e a Justiça em caso de sinalização de paralisação, “para que haja a garantia da frota de ônibus nas ruas para atender à população neste momento de pandemia”.

Veja a Nota completa


Desde o início de 2021, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) vem buscando negociar com os rodoviários. No entanto, é necessário ressaltar que o momento atual da pandemia de Covid-19 agravou ainda mais a saúde financeira das empresas.

De março de 2020, quando foram registrados os primeiros casos de infecção por coronavírus no Brasil, a fevereiro de 2021, as empresas de ônibus perderam mais de 2,3 milhões de passageiros por mês, em comparação com o período anterior. Desde então, o sistema tem operado de forma deficitária, com acúmulo de prejuízos para o setor.

Com a sinalização de um aporte financeiro por parte da Prefeitura de Maceió, foi possível fazer uma proposta viável aos rodoviários. Porém, o Sinturb entende que é necessário um esforço coletivo para que seja possível retomar benefícios, como plano de saúde e tíquete-alimentação. Reiteramos também que a data-base de 2021-2022 do acordo coletivo ainda está em discussão.

As empresas de ônibus de Maceió esperam que a proposta feita na audiência de mediação com o Ministério Público do Trabalho (MPT-AL) seja aceita pelos rodoviários, visto que as empresas ainda não recuperaram o equilíbrio econômico-financeiro total, e pedem a compreensão dos trabalhadores neste momento de pandemia e incertezas, em que todas as partes estão precisando fazer concessões para o benefício de todos e para evitar greves que irão prejudicar a população.

Em tempo, informam que o MPT e a Justiça serão acionados em caso de sinalização de paralisação, para que haja a garantia da frota de ônibus nas ruas para atender à população neste momento de pandemia.  

 fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente