A Hora da Notícia

Prefeitura de Maceió aciona BRK Ambiental e solicita a suspensão dos pagamentos de outorga ao Estado de Alagoas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Rogério Reis

A Prefeitura de Maceió acionou, nessa terça-feira (7), a empresa BRK Ambiental, que presta serviços públicos de água e esgoto, sobre a ilegalidade no pagamento do valor da outorga ao Estado de Alagoas referentes aos municípios da Região Metropolitana de Maceió. A prefeitura solicita que os repasses da outorga sejam suspensos imediatamente.

O contrato entre a BRK Ambiental e o governo de Alagoas foi firmado em dezembro de 2020, quando a empresa venceu o certame licitatório, dando um lance a título de outorga no valor de aproximadamente R$ 2 bilhões.

“O edital e o contrato de concorrência pública nº 09/2020 preveem que o valor da outorga (lance vencedor), repita-se será pago diretamente – e de forma desvinculada – ao Estado de Alagoas, em nítido prejuízo aos municípios que integram a RMM”, diz trecho da notificação extrajudicial.

Conforme o documento, na primeira reunião para tratar da prestação do serviço, em maio de 2021, no Gabinete do Prefeito de Maceió, com representantes da BRK Ambiental, os presentes informaram que 30% do valor total da outorga – R$ 613 milhões – já haviam sido pagos ao Estado de Alagoas. Os 70% seriam pagos após a assunção definitiva dos serviços da empresa.

A notificação extrajudicial ainda informa que, após o pagamento do restante do valor, o Município de Maceió teria um prejuízo de aproximadamente R$ 1 bilhão. “Nesse sentido, dúvida não há quanto à ilegalidade do contrato de concessão celebrado pela BRK Ambiental com o Estado de Alagoas”, diz outro trecho do documento.

Diante dos fatos, a Prefeitura de Maceió notificou a empresa sobre a ilegalidade de qualquer pagamento ao Estado de Alagoas em relação ao municípios da Região Metropolitana, sob pena de cometimento de ato de improbidade administrativa. Além disso, o Município recomenda que os pagamentos não sejam mais realizados junto ao governo de Alagoas.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente