A Hora da Notícia

Presidente do TRE de Alagoas defende sistema eleitoral

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Presidente do TRE de Alagoas defende sistema eleitoral

Na medida em que diminui seu percentual de intenções de voto para 2022, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aumenta o tom contra o sistema eleitoral brasileiro e repete, sem nunca apresentar qualquer tipo de prova, haver fraudes nas eleições brasileiras sob a urna eletrônica. Para o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Alagoas, desembargador Otávio Praxedes, as falas do ex-capitão são infundadas.

“A urna eletrônica completa 25 anos de existência, período no qual provou ser uma ‘máquina de votar’ resistente à fraude, garantindo mais segurança, transparência e legitimidade ao processo eleitoral brasileiro. Nesse período, coletou e apurou os votos de dezenas de milhões de eleitores espalhados por mais de 5.500 municípios, consolidando o Brasil como a nação com a maior eleição informatizada do planeta”, pontua. “Nunca houve uma fraude sequer comprovada em todo esse tempo de uso da urna eletrônica, cuja integridade e auditabilidade são testadas e comprovadas publicamente em todas as eleições realizadas no país, procedimento esse que pode ser acompanhado pela sociedade através do MP [Ministério Público], OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], candidatos e partidos políticos”, completa o desembargador.

Otávio Praxedes ainda destaca a celeridade que as urnas eletrônicas dão aos processos eleitorais no Brasil.

“Ela [urna eletrônica] substituiu, com grande êxito, o antigo e lento modelo de votação em cédulas de papel e de apuração manual, sistema que sempre foi mais suscetível e vulnerável a ações fraudulentas. A Justiça Eleitoral de Alagoas se orgulha de suas urnas eletrônicas, responsáveis pela segurança e higidez do processo eleitoral”, afirma o presidente do TRE de Alagoas.

TSE

Por causa das recentes declarações do presidente da República que, além de atacar o sistema eleitoral, ofendeu o ministro Luís Roberto Barroso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nota na última sexta-feira (9).

Luís Roberto Barroso, que preside o TSE, afirma que as falas de Jair Bolsonaro configuram crime de responsabilidade, uma vez que o ex-capitão do Exército ameaça impedir a realização das eleições em 2022.

“A realização de eleições, na data prevista na Constituição, é pressuposto do regime democrático. Qualquer atuação no sentido de impedir a sua ocorrência viola princípios constitucionais e configura crime de responsabilidade”, crava. “Desde a implantação das urnas eletrônicas em 1996, jamais se documentou qualquer episódio de fraude. Nesse sistema, foram eleitos os Presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Jair Bolsonaro. Como se constata singelamente, o sistema não só é íntegro como permitiu a alternância no poder. Especificamente, em relação às eleições de 2014, o PSDB, partido que disputou o segundo turno das eleições presidenciais, realizou auditoria no sistema de votação e reconheceu a legitimidade dos resultados”, completa a nota do TSE.
Fonte – Tribuna Hoje

politica #politicaalagoana

fonte: blog.politicaalagoana.com.br

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente