A Hora da Notícia

Senado aprova projeto que prevê prisão para quem furar fila da vacina

Pelo projeto, fila deve ser definida pelo poder público; proposta prevê aumento de pena se 'fura-fila' for autoridade ou funcionário público; texto segue para a Câmara
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Idosos acima de 72 anos começam a ser vacinados nesta sexta em Maceió footo: Google

O Senado aprovou nesta terça-feira (16) um projeto que prevê detenção de 1 a 3 anos e multa para quem desrespeitar a ordem de prioridade da vacinação estabelecida pelo poder público durante situação de emergência de saúde pública.https://57be1f89abf1b3975dbb0b7ea0b633eb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Pelo texto, que altera a lei do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a pessoa que furar a fila ou ajudar outra pessoa a furar terá a pena aumentada se for autoridade ou funcionário público e souber da irregularidade.

A proposta, de autoria do senador Styvenson Valentim (Pode-RN), segue para a Câmara dos Deputados.

No mês passado, a Câmara aprovou um projeto que transforma em crime o ato de furar a fila para ser vacinado.

O projeto

O texto aprovado nesta terça pelo Senado estabelece outras medidas a fim de evitar fraudes durante a campanha de vacinação.

A proposta diz que toda pessoa que se submeter à vacinação ou que levar alguém sob sua responsabilidade para tomar o imunizante tem direito:

  • à presença de um acompanhante;
  • ao registro, por qualquer meio, do momento da vacinação, desde que, ao fazê-lo, não dificulte a realização do procedimento pelos profissionais de saúde;
  • ao acompanhamento do ato de marcação do lote da vacina no cartão de vacinação respectivo.

O texto define ainda que quem obstruir ou impedir que essas condutas aconteçam poderá ser punido com detenção de seis meses a dois anos, e multa. Isso sem prejuízo de demais sanções administrativas.https://57be1f89abf1b3975dbb0b7ea0b633eb.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

O registro das ocorrências, conforme a proposta, poderá ser feito pela internet, nos estados em que esse procedimento virtual esteja disponível.

Vacinação ‘forjada’

Relator do projeto, o senador Alvaro Dias (Pode-PR) diz que casos de vacinação “forjada”, com desvio de imunizantes, têm sido registrados no país.

“A edição da norma, portanto, tem a possibilidade de evitar esses problemas e tranquilizar a população”, afirmou Alvaro Dias.

“Trata-se [o desrespeito à fila] de prática escandalosa que tem gerado grande indignação na população e que representa uma ameaça à tranquilidade e à saúde pública, sobretudo na pandemia que vivenciamos, pois se trata de conduta que pode comprometer os planos de imunização prioritária dos profissionais da saúde e de pessoas idosas ou com comorbidades”, acrescentou o líder do Podemos.

O senador Jean Paul Prates (PT-RN), líder da minoria, disse que a proposta tem a finalidade de “reforçar o direito de quem recebe a vacina”.

“Mas que não pairem dúvidas sobre a confiança e a gratidão deste Senado aos nossos profissionais de saúde, que, com o seu esforço, estão levando as vacinas a cada canto do país”, declarou o petista.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente