A Hora da Notícia

Trabalhadores ‘esquecem’ mais de R$ 3 milhões de abono em Alagoas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

FOTO: Divulgação

Um total de 5.639 trabalhadores de Alagoas não sacaram o abono salarial 2020-2021, de acordo com a Caixa Econômica Federal. Os recursos deixados pelos trabalhadores somam R$ 3,2 milhões. O pagamento do abono calendário 2020/2021 se encerrou na última quarta-feira (30). Em Alagoas, 311.957 trabalhadores tinham direito ao recebimento do abono salarial, totalizando o montante de R$ 246,6 milhões. A lei determina que, se não sacar no prazo de cinco anos, a pessoa perde o direito.

O calendário de pagamentos começou ainda em 2020 e leva em consideração o mês de nascimento e o número final da inscrição. O último crédito foi feito em março. Em todo o país, foram disponibilizados 22,2 milhões de benefícios do ano-base 2019. Desse total, 327,6 mil benefícios no valor total de R$ 214 milhões não foram sacados.

Os trabalhadores que não efetuarem o saque até 30 de junho, terão que esperar o início do próximo calendário do abono salarial. De acordo com a Resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) nº 896, de 23 de março de 2021, os valores do pagamento do abono salarial, que tradicionalmente eram liberados no período de julho a junho do ano seguinte, passarão a ser pagos de janeiro a dezembro de cada exercício, com base nas informações prestadas pelos empregadores no ano anterior. Com essa alteração, o calendário 2022, ano-base 2020, terá início previsto para janeiro de 2022. Pela regras em vigor, é assegurado o direito aos valores do PIS/Pasep pelo prazo de cinco anos.

O valor do PIS-Pasep 2020-2021 varia de R$ 92 a R$ 1.100, dependendo do período trabalhado formalmente em 2019. Só recebeu o valor total de um salário mínimo quem trabalhou os 12 meses de 2019. Para ter direito, o trabalhador precisa estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos 5 anos;ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos com carteira assinada em 2019; ter exercido atividade remunerada para pessoa jurídica, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base considerado para apuração; ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)/eSocial.

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação. Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site da Caixa. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Em dezembro de 2020, a Caixa começou a pagar o abono salarial do PIS para quem não é correntista via aplicativo Caixa Tem —o mesmo usado para o pagamento do auxílio emergencial. O banco abriu uma poupança social digital gratuita para quem ainda não tinha. Ela só pode ser movimentada pelo app, que está disponível para os sistemas de celular Android ou iOS. Pelo Caixa Tem é possível pagar boletos, fazer transferências e compras com cartão virtual.

fonte: Gazetaweb

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente