A Hora da Notícia

TSE conclui testes nas urnas sem encontrar falhas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
PRESTAÇÃO DE CONTAS

Urna Eletrônica / Reprodução

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) concluiu, nesta sexta-feira (13), a segunda rodada de testes de segurança nas urnas eletrônicas sem identificar fragilidades. 

Em um dos resultados do teste, o TSE informou que vai elaborar estudos para avaliar a possível redução da cabine de votação. O objetivo é aumentar a segurança contra a possibilidade de inserção de equipamentos externos ao aparelho de votação.

O chamado Teste de Confirmação foi realizado entre quarta-feira (11) e hoje e se trata da segunda etapa do Teste Público de Segurança, evento conduzido pelo TSE para testar as urnas por meio de ataques simulados.

A primeira etapa ocorreu no ano passado — quando o TSE reuniu 26 investigadores que conduziram 29 tentativas de ataque às urnas eletrônicas. Deste total, apenas 5 planos foram considerados “achados” relevantes pela equipe técnica e foram reproduzidos ao longo desta semana, após melhorias conduzidas pela Corte. 

O objetivo era verificar se o TSE conseguiu blindar o sistema de votação dos ataques anteriores.

O plano de ataque que mais chamou a atenção foi o conduzido por uma equipe da Polícia Federal, que conseguiu ultrapassar a barreira de segurança da rede de transmissão e acessar a rede do TSE. O ataque, porém, não conseguiu adulterar informações ou chegar ao sistema de votação.

As tentativas de ataque foram repetidas, mas não obtiveram sucesso. Segundo o juiz auxiliar da presidência, Sandro Nunes Vieira, o TSE fez correções na infraestrutura da rede e no controle de acessos. “A solução implementada pelo TSE foi validada pelos peritos da Polícia Federal que, ao tentar entrar na rede, foram expulsos e não conseguiram o ataque”, afirmou Vieira.

Outros ataques considerados relevantes incluíram uma outra tentativa de acesso à rede do TSE, que conseguiu passar pela rede de segurança e chegar à “porta” da rede do tribunal, mas sem ter sucesso em invadi-la.

fonte: cadaminuto.com.br

Compartilhe essa informação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Notícias Relacionadas

Comente